fbpx






19 de fevereiro de 2018

Foram dias de folia, mas claro que para alguns nada melhor do que uma boa série na Netflix com pipoca e brigadeiro, o que não vem ao caso agora não é verdade?! Mas, os muitos foliões espalhados por todo Brasil, desde as grandes capitais até as vilas no interior, aproveitaram para se encher de brilho, fantasias peculiares e muito sorriso no rosto.

Foto: Party Style

No Carnaval, todo mundo é amigo de todo mundo, o desconhecido vira mais chegado que um irmão. 

Daí vem as cinzas e tudo volta ser o que era antes. Há quem volte ao trabalho após o meio dia com os pés dançantes, e o corpo ainda energizado dos dias que se passaram, mas há também aqueles que tiram a máscara da alegria e retorna para sua bolha.

O que me chama a atenção é que poucos dias, mulheres esquecem a vergonha do corpo, esquecem se estão ou não agradando as pessoas, deixam a vida levar, pois o importante é ser feliz.

Mas quando a rotina volta ao normal, é como se retiram toda essa fantasia de Mulher Incrível e abre alas para a angústia, tristeza e depressão por não poder usar um short, pois a perna está cheia dos indesejados furinhos de celulite, ou que se colocar um cropped vai mostrar a barriga e se importam com o que as pessoas vão dizer. Mas por que?

É normal quando nossa autoestima está destruída culpar terceiros por não conseguir fazer as coisas.

A verdade é que somos nós mesmos que nos abrimos espaço para as depreciações que nós mesmos fazemos quando damos de cara com o espelho, balança, roupa apertada ou um mal olhado. Se não for nós mesmos a dar o basta, isso nunca vai mudar, pois as pessoas ao redor ou o mundo não vão mudar só porque você quer que mude. Comece por você mesmo.

Quer um conselho? Vista-se de sorrisos todos os dias, comece a enxergar o lado bom. A roupa não serve mais? É um sinal de que você pode superar seus limites e provar que você de fato é uma Mulher Incrível e pode mudar isso.

Como? Descobrindo novos hábitos alimentares, um talento escondido, bem como costurar as suas próprias roupas, já pensou? Pode ser um excelente momento para descobrir novas músicas, novas séries, descobrir que seu quarto precisa de uma nova decoração, ou pode ser também o seu momento com o Divino, onde pode ter experiências únicas.

Quando você escolhe ver o lado bom da vida, a vida sorri pra você, e as coisas difíceis que parecem pesadas de suportar se tornam leves como uma pena. Sorria. Um super beijo e até a próxima ♥

(Visited 3 times, 1 visits today)
Compartilhe o post: 18 comentários

  • Como cuidar da pele no frio
  • Botox Capilar: mitos e verdades sobre esse tratamento
  • Make com efeito de luz e sombra: Aprenda a afinar nariz e bochechas
  • Comente pelo facebook:
    Comente pelo Blog:

    1. Débora Alvim, 20 de fevereiro de 2018

      Nossa, verdade isso.. Achei bem interessante o seu post! Muitas mulheres precisam ler ele.

    2. Tatiane Santana, 20 de fevereiro de 2018

      Eu salvei esse post ou esse post que me salvou? Sempre dou risada e converso com os amigos sobre o que li no twitter uma vez, falando que se a gente continuar se juntando pra conversar, beber, dançar e rir o carnaval não vai acabar rs. E é exatamente isso que você diz em seu post, realmente sentimos mais liberdade pra ser quem somos nesses dias de folia, por que não continuar assim o resto do ano? <3

      • Klissia Mafra, 20 de fevereiro de 2018

        que possamos ser pessoas melhores todos os dias ♥ beijinhos

    3. Letícia Fraga, 20 de fevereiro de 2018

      Pior que é verdade, no carnaval a gente nunca liga para o que os outros vão pensar de nós, simplesmente nos “jogamos” e depois voltamos para a “vida real” o mundo seria melhor se todo dia fosse carnaval, não é?
      Beijos Lê ?

      • Klissia Mafra, 20 de fevereiro de 2018

        Verdade Lê, que todos os dias sejam dias de alegria.
        Beijinhos ♥

    4. Kaila Garcia, 20 de fevereiro de 2018

      Amei seu texto, moro no interior e aqui o carnaval não tem tanta intensidade, mas para quem gosta, são dias e tanto!

      http://www.kailagarcia.com

    5. Marina Lima, 20 de fevereiro de 2018

      Oi =)
      Adorei seu texto! Uma coisa que você destacou no texto e eu não consigo entender é como as pessoas conseguem se amar tanto no carnaval e passada a época das festa volta se se odiar? Qual foi a diferença? Você não conseguiu sair, conversar, amar e se sentir linda sem o julgamento dos outros? Porque agora não mais? Auto estima é um assunto tão importante a ser discutido. Que todas as mulheres que não se acham lindas percebam o quanto são maravilhosas.

      Beijos de Luz,
      Marina | http://www.meudoceapartamento.com

      • Klissia Mafra, 20 de fevereiro de 2018

        esse é meu desejo pro mundo, que todas (os) percebam seu real valor! beijinhos ♥

    6. Camila Carvalho, 20 de fevereiro de 2018

      Oi
      Eu não curto carnaval. No entanto gostei da forma que usou essa festa cultural para falar algo tão verdadeiro.
      Acredito que se amar é longo processo de reconhecimento, mas fico feliz em ver que cada vez mais mulheres têm se amado na própria pele.
      Beijo

    7. Della, 20 de fevereiro de 2018

      Que texto mais amor!
      De fato, o Carnaval trouxe uma alegria que não precisa ser deixada de lado, uma liberdade que deveria ser mantida e um amor que não deveriamos parar de compartilhar.

      Esse post foi incrivel e vou indicar para minhas leitoras por e-mail, com certezaaaa!

      Abraços de luz
      http://www.blogdella.com

    8. Mari Dahrug, 22 de fevereiro de 2018

      Falou tudo, temos sempre que ver o lado bom… acredito muito nisso de atração! E principalmente, amor próprio é tão fundamental né?

      Beijos
      Mari Dahrug
      https://www.rabiskos.com.br/

    9. Vitória Bruscato, 4 de março de 2018

      Acho muito importante nos amarmos sim, mas quando não nos achamos bonitas o suficiente, pode ter culpa de terceiros sim. Sabe aquele comentáriozinho que alguém faz na roda de amigos como uma “brincadeira” e depois você fica se sentindo super mal? Essas pequenas coisas afetam a gente 🙁

      • Klissia Mafra, 6 de março de 2018

        Afeta e muito, mas em sua maioria porque não estamos bem com a gente mesma. Aprendi lidar com esse tipo de comentário, deixando a pessoa sem graça ao entrar na brincadeira, ainda que por dentro esteja explodindo de vontade de sair correndo e chorar. Me sinto mais leve agindo assim, e de uma certa forma, faz com que esse tipo de comentário cesse. Um beijo ♥